Uma Discussão sobre Relações Pessoa-Cultura em Processos Terapêutico-Educacionais nos Transtornos do Espectro do Autismo

Djalma Francisco Costa Lisboa de Freitas

Resumo


Este trabalho discute o lugar de processos terapêutico-educacionais junto a pessoas diagnosticadas com transtorno do espectro do autismo (TEA). O TEA é descrito como um transtorno do desenvolvimento que afeta a interação social, a comunicação, os comportamentos e o processamento sensorial da pessoa. As reflexões presentes neste trabalho partem da discussão de como os constructos teórico-metodológicos da perspectiva evolucionista e da perspectiva da psicologia cultural podem contribuir para a compreensão acerca do desenvolvimento da pessoa diagnosticada com TEA, bem como, sobre o posicionamento de responsabilidade ética nos processos terapêuticoeducacionais com essas pessoas. Destaca-se que, ao falar de compreensão e intervenção terapêutico-educacional sobre o desenvolvimento de pessoas diagnosticadas com TEA, estão implicados processos ligados a níveis filogenéticos, ontogenéticos e sociogenéticos de seleção/variação de formas pessoais e coletivas de funcionamento na relação pessoa-cultura. Conclui-se que os mecanismos semiótico-culturais – como a saúde e educação - assumem sua posição enquanto movimentos regulatórios e de responsabilidade ética sobre as pessoas diagnosticada com TEA.

Palavras-chave


construtivismo semiótico-cultural em psicologia; interação cultural; transtorno espectro do autismo; processos terapêutico-educacionais.

Texto completo:

PDF/A

Referências


American Psychiatric Association. (2013). Diagnostic and statistical manual of mental disorders – DSM-5 (5th ed). Washington, DC: American Psychiatric Association.

Assumpção, F. B., Jr, & Pimentel, A. C. M. (2000). Autismo infantil. Revista Brasileira de Psiquiatria, 22, 37-39.

Baldwin, J. M. (1896). A new factor in evolution. American Naturalist, 30 (354), 441-451. Recuperado de: https://brocku.ca/MeadProject/Baldwin/Baldwin_1896_h.html

Boesch, E. E. (1991). Symbolic action theory and cultural psychology. New York: Springer.

Bosa, C. A. (2006). Autismo: Intervenções psicoeducacionais. Revista Brasileira de Psiquiatria, 28, 47-53.

Bosa, C. A., & Teixeira, M. C. T. V. (2017). Autismo: Avaliação psicologia e neuropsicológica. São Paulo: Editora Hogrefe CETEPP.

Bosa, C. A., Backes, B., & Zanon, R. (2016). Cognição social e transtornos do espectro do autismo. In T. P. Mecca, N. M. Dias & A. A. Berberian (Org.), Cognição social: Teoria, pesquisa e Aplicação (pp. 326). São Paulo: Editora Memnon.

Cabell, K. R., & Valsiner, J. (2014). The catalyzing mind: Beyond models of causality. New York: Springer.

Darwin, C. R.. (1859). On the origin of species by means of natural selection or the preservation of favoured races in the struggle of life. London, Methuen.

Figueiredo, L. C. M. (2008). Revisitando as psicologias: Da epistemologia à ética das práticas e discursos psicológicos. São Paulo: Vozes.

Freitas, D. F. C. L. (2013). Um estudo sobre o processo de transmissão cultural. Dissertação de Mestrado, Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil.

Freitas, D. F. C. L. (2016). Relações de cuidado em processos terapêutico-educacionais junto a pessoas diagnosticadas com Transtorno do Espectro do Autismo. Tese de Doutorado, Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/47/47132/tde-21032017-104104/

Freitas, D. (2018). The methodological approaches in an experimental study of cultural transmission process. Culture & Psychology, 24(4), 418–442. doi: 10.1177/1354067X17729996

Freitas, D. F. C. L. de, & Guimarães, D. S. (2013). An experimental study about cultural transmission process. Psychology & Society, 5 (1), 67-86.

Freitas, D. F. C. L., & Guimarães, D. S. (2015). A discussion about the phenomena of temporal mediation in cultural transmission process: Reflections on an experimental research. In J. Cresswell, A. Haye, A. Larraín, M. Morgan & G. Sullivan (Org.), Dialogue and Debate in the Making of Theoretical Psychology (pp. 40-52). Ontario: Captus press.

Guimarães, D. S. (2010). Symbolic objects as sediments of the intersubjective stream of feelings. Integrative Psychological & Behavioral Science, 44, 208-216.

Guimarães, D. S. (2015). Temporality in cultural trajectories: A psychological approach on semiotic constructions. In L. M. Simão, D. S. Guimarães & J. Valsiner (Org.), Temporality: Culture in the flow of human experience (pp. 331-358). Charlotte: Information Age Publishing.

Guimarães, D. S. (2016). Descending and ascending trajectories of dialogical analysis: seventh analytic interpretation on the short story “The guerrillero”. Psicologia USP, 27, 189-200.

Guimarães, D. S., & Cravo, A. M. (2015). Understanding others without a word: articulating the shared circuits model with semiotic-cultural constructivist psychology. In Z. Beckstead (Org.), Cultural psychology of recursive processes (pp.143-160). Charlotte: Information Age Publishing.

Kanner, L. (1943). Autistic disturbances of affective contact. Pathology, 2, 217-250.

Mattos, E., & Chaves, A. (2014). Exploring the role of catalyzing agents in the transition to adulthood. The Catalyzing Mind, Annals of Theoretical Psychology, 11, 167-189.

Paula, C. S. de, Cunha, G. R. da, Silva, L. C., & Teixeira, M. C. T. V. (2017). Conceituação do transtorno do espectro autista: Definição e epidemiologia. In C. A. Bosa & M. C. T. V. Teixeira (Orgs), Autismo: Avaliação psicologia e neuropsicológica (pp. 312). São Paulo: Editora Hogrefe CETEPP.

Ritvo, E. R., & Ornitz, E. M. (1976). Autism: Diagnosis, current research and management. New York: Spectrum.

Simão, L. M. (2010). Ensaios dialógicos: Do compartilhamento a diferença nas relações Eu-Outro. São Paulo: Editora Hucitec.

Simão, L. M., Guimarães, D. S., Freitas, D. F. C. L., Bastos, S., & Rios, H. (2016). Researcher-Participant relationships in different settings: Theoretical and methodological issues within the framework of semiotic-cultural constructivism. In M. Watzlawik, A. Kriebel & J. Valsiner (Org.), Particulars and universals in clinical and developmental psychology: Critical reflections - a book honoring Roger Bibace (pp. 247-269). Charlotte: Information Age Publishing.

Sousa, F. R. (2018). Povos indígenas e saúde mental: A luta pelo habitar sereno e confiado. Dissertação de Mestrado, Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil.

Teixeira, M. C. T. V., Carreiro, L. R. R., Cantiere, C. N., & Baraldi, G. S. (2017). Perfil cognitivo e comportamental do transtorno do espectro autista. In C. A. Bosa & M. C. T. V. Teixeira (Orgs), Autismo: Avaliação psicologia e neuropsicológica (pp. 312). São Paulo: Editora Hogrefe CETEPP.

Valsiner, J. (1998). The guided mind: A sociogenetic approach to personality. Cambridge: Harvard University Press.

Valsiner, J. (2012). Fundamentos da psicologia cultural – Mundos da mente, mundos da vida. Porto Alegre: Artmed.

Wagner, R. (1981). The invention of culture. Chicago: University of Chicago Press.

Wing, L. (1988). The continuum of autistic disorders. In E. Schopler & G. M. Mesihov (Eds.), Diagnosis and assessment in autism (pp.91-110). New York: Plenum.

Whitman, T. L. (2015). O desenvolvimento do autismo: Social, cognitivo, linguístico, sensório-motor e perspectivas biológicas. São Paulo: M. Books.




DOI: http://dx.doi.org/10.5020/23590777.rs.v20i1.e9347

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Subjetividades, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2359-0777

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia