A Sexualidade Feminina em Escritos das Pioneiras da Psicanálise

Camila da Terra da Rosa, Amadeu de Oliveira Weinmann

Resumo


O presente artigo tem como objetivo recuperar escritos das pioneiras da psicanálise sobre a sexualidade feminina. A importância do retorno a essas autoras está na possibilidade de elaboração de uma teoria da sexualidade feminina por mulheres, em um campo tradicionalmente ocupado por autores homens. As mulheres conseguiram sair do lugar de pacientes para se tornar autoras? Foi possível às mulheres ocupar um lugar de protagonismo na psicanálise? As psicanalistas escolhidas para pensar essas questões foram responsáveis por importantes torções na teoria freudiana sobre a sexualidade feminina e são reconhecidas na história da psicanálise por suas contribuições teóricas e clínicas. São elas: Karen Horney, Jeanne Lampl-de Groot, Ruth Mack Brunswick, Melanie Klein, Joan Riviere e Helene Deutsch. Nesse trabalho, pretende-se trazer à tona, novamente, suas contribuições, com o intuito de buscar uma herança feminina na psicanálise.

Palavras-chave


psicanálise; história; sexualidade feminina.

Texto completo:

PDF/A

Referências


Bleichmar, E. D. (1988). O feminismo espontâneo da histeria: Estudo dos transtornos narcisistas da feminilidade (F. Vidal, Trad.). Porto Alegre: Artes Médicas Sul.

Brunswick, R. M. (1943-1944). La fase preedípica del desarrollo de la libido. Revista de Psicoanálisis, 1(3), 181-199. (Originalmente publicado em 1940)

Cobs, S. (1977). Prólogo. In H. Deutsch, La psicologia de la mujer (F. Asúa, Trad., 6a ed., pp. 7-8). Buenos Aires: Losada.

Deutsch, H. (1967). La homosexualidad femenina. In Psicoanálisis y desviaciones sexuales (N. Watson, Trad., pp. 15-51). Buenos Aires, Argentina: Hormé. (Originalmente publicado em 1932)

Deutsch, H. (1977). La psicologia de la mujer (F. Asúa, Trad., 6a ed.). Buenos Aires: Losada. (Originalmente publicado em 1952)

Deutsch, H. (2015). Masoquismo “feminino” e a sua relação com a frigidez. Revista da Associação Psicanalítica de Porto Alegre, 48, 140-152. (Originalmente publicado em 1930)

Freud, S. (1996a). Sobre as teorias sexuais infantis. In S. Freud, Obras psicológicas completas (J. Salomão, Trad., Vol. 9, pp. 191-206). Rio de Janeiro: Imago. (Originalmente publicado em 1908)

Freud, S. (1996b). A psicogênese de um caso de homossexualismo numa mulher. In S. Freud, Obras psicológicas completas (J. Salomão, Trad., Vol. 18, pp. 159-186). Rio de Janeiro, RJ: Imago. (Originalmente publicado em 1920)

Freud, S. (1996c). Algumas consequências psíquicas da distinção anatômica entre os sexos. In S. Freud, Obras psicológicas completas (J. Salomão, Trad., Vol. 20, pp. 277-288). Rio de Janeiro: Imago. (Originalmente publicado em 1925)

Freud, S. (1996d). Sexualidade feminina. In S. Freud, Obras psicológicas completas (J. Salomão, Trad., Vol. 21, pp. 233-254). Rio de Janeiro: Imago. (Originalmente publicado em 1931)

Freud, S (1996e). Feminilidade. In S. Freud, Obras psicológicas completas (J. Salomão, Trad., Vol. 22, pp. 113-134). Rio de Janeiro: Imago. (Originalmente publicado em 1933)

Horney, K. (1991). A fuga da feminilidade. In K. Horney, Psicologia feminina (T. Rodrigues, Trad., pp. 51-66). Rio de Janeiro: Bertrand. (Originalmente publicado em 1926)

Klein, M. (1996). Estágios iniciais do conflito edipiano. In M. Klein, Amor, culpa e reparação e outros trabalhos (1921-1945) (E. Rocha, Trad., pp. 216-227). Rio de Janeiro: Imago. (Originalmente publicado em 1928)

Klemann, H. (1991). Introdução. In K. Horney, Psicologia feminina (T. Rodrigues, Trad., pp. 7-32). Rio de Janeiro: Bertrand.

Lacan, J. (1998). O seminário, livro 5: As formações do inconsciente (V. Ribeiro, Trad.). Rio de Janeiro: Jorge Zahar. (Originalmente publicado em 1957-1958)

Lampl-de Groot, J. (1967). La evolución del complejo de Edipo en las mujeres. In Psicoanálisis y sexualidad femenina (N. Watson, Trad., pp. 49-70). Buenos Aires, Argentina: Hormé. (Originalmente publicado em 1927)

Pedro, J. M. (2006). Narrativas fundadoras do feminismo: Poderes e conflitos (1970-1978). Revista Brasileira de História, 26(52), 249-272.

Petot, J. M. (1979). Melanie Klein I (M. Levy, Trad.). São Paulo: Editora Perspectiva.

Rodrigué, E. (1995). Sigmund Freud: O século da psicanálise (1895 – 1995). São Paulo: Escuta.

Radcliffe Institute for Advanced Study. (1985). Deutsch, Helene, 1884-1982: Papers of Helene Deutsch, 1900-1983: a finding aid. Recuperado de: http://oasis.lib.harvard.edu/oasis/deliver/~sch00550

Riviere, J. (2005). A feminilidade como máscara. Psychê, 9(16), 13-24. (Originalmente publicado em 1929)

Scott, J. (1995). Gênero: Uma categoria útil de análise histórica. Educação e Realidade, 20(2), 71-99.

Silva, M. V., & Santo, É. (2015). A história das primeiras mulheres psicanalistas do início do Século XX. História, histórias, 3(6), 135-156.




DOI: https://doi.org/10.5020/23590777.rs.v20i3.e9499

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Subjetividades, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2359-0777

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia