Nominações na Adolescência e sua Relação com o Autor de Ato Infracional

Carolina Nassau Ribeiro, Daniela Paula do Couto, Carla Almeida Capanema, Vinícius Moreira Lima, Ângela Maria Resende Vorcaro, Jacqueline de Oliveira Moreira, Andréa Máris Campos Guerra

Resumo


Este texto pretende localizar pontos de novas saídas na trajetória de vida de adolescentes e jovens adultos que estiveram, de alguma forma, envolvidos com a prática de atos infracionais. Perguntamo-nos em que medida o acontecimento vivido pelo adolescente pode ser acolhido por ele como uma nova amarração entre os registros real, simbólico e imaginário, a qual sustente a decisão pelo desligamento na relação com a criminalidade, reinterpretando e acrescentando novos aportes à teoria sociológica do desligamento do crime. Metodologicamente, servimo-nos da narrativa memorialística, que visa recuperar a história de vida a partir da associação livre inconsciente de jovens atravessados pela criminalidade. O material que possibilitou tal acesso é composto por 14 áudios de narrativas, que foram colhidas por diferentes duplas de pesquisadoras/es que integravam o núcleo de pesquisa responsável, em diferentes territórios do município no qual se realizou a investigação. Para este trabalho, foi feito um recorte composto por fragmentos das narrativas de três adolescentes (até 17 anos), sete jovens adultos (entre 18 e 20 anos) e quatro adultos (acima de 20 anos) do sexo masculino. Os casos nos ensinam que, enquanto o nome, na adolescência, apresenta uma função de separação em relação à alienação ao Outro, a nominação estaria relacionada a uma amarração dos três registros, como efeito de sua incidência sobre o modo de gozo. A dimensão da nominação ensina, no trabalho com o adolescente, que as expectativas do mundo adulto podem se tornar ideais muito distantes do que indica a trajetória do sujeito, único que pode orientar sua causa e cernir um nome para o gozo.

Palavras-chave


nominação; nome; sujeito; adolescência; ato infracional.

Texto completo:

PDF/A

Referências


Alberti, S. (2009). Esse sujeito adolescente. Rio de Janeiro: Rios Ambiciosos/Contra Capa.

Capanema, C. A. (2018). Enlaces e desenlaces na adolescência. Belo Horizonte: Editora Scriptum.

Capanema, C. A., Fajnwaks, F., & Vorcaro, A. M. R. (2018). As nominações na clínica nodal de adolescentes. Revista Tempo Psicanalítico, 50(1), 99-124. https://tempopsicanalitico.com.br/index.php/tempopsicanalitico/article/view/321

Deltombe, H. (2010). Les enjeux de l’adolescence. Paris: Éditions Michèle.

Freud, S. (1996a). Fragmento da análise de um caso de histeria. In S. Freud, Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud (J. Salomão, Trad., Vol. 7, pp. 13-116). Rio de Janeiro: Imago. (Trabalho original publicado em 1905[1901])

Freud, S. (1996b). Três ensaios sobre a teoria da sexualidade. In S. Freud, Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud (J. Salomão, Trad., Vol. 7, pp. 117-231). Rio de Janeiro: Imago. (Trabalho original publicado em 1905)

Freud, S. (1996c). Contribuições para uma discussão acerca do suicídio. In S. Freud. Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud (J. Salomão, Trad., Vol. 11, pp. 243-244). Rio de Janeiro: Imago. (Trabalho original publicado em 1910)

Glueck, S., & Glueck, E. T. (1975). 500 Criminal Careers. Milwood, N.Y.: Kraus Reprint. (Publicado originalmente em 1930)

Guerra, A. M. C. (2016-2018). Adolescências e Leis: um estudo psicanalítico sobre a desistência do crime na adolescência. Projeto de Pesquisa com financiamento das agências FAPEMIG e CNPQ, Belo Horizonte.

Guerra, A. M. C. et al. (2017). The Narrative Memoir as a Psychoanalytical Strategy for the Research of Social Phenomena. Psychology, 8, 1238-1253. DOI: https://doi.org/10.4236/psych.2017.88080

Lacan, J. (2009). O Seminário, livro 1: os escritos técnicos de Freud (B. Milan, Trad.). Rio de Janeiro: Jorge Zahar. (Seminário proferido em 1953-54)

Lacan, J. (2003a). O Seminário, livro 9: a identificação. Recife: Centro de Estudos Freudianos do Recife. (Seminário proferido em 1961-62)

Lacan, J. (2006). O Seminário, livro 12: Problemas cruciais para a psicanálise. Recife: Centro de Estudos Freudianos do Recife. (Seminário proferido em 1964-65)

Lacan, J. (2003b). O aturdito. In: J. Lacan. Outros escritos (pp. 448-497). Rio de Janeiro: Jorge Zahar. (Trabalho original publicado em 1972)

Lacan, J. (2003c). Televisão. In J. Lacan, Outros escritos (pp. 508-543). Rio de Janeiro: Jorge Zahar. (Trabalho original publicado em 1974)

Lacan, J. (1974-75, inédito). O Seminário, livro 22: R.S.I. http://lacanempdf.blogspot.com.br/2017/03/o-seminario-22-rsi-jacques-lacan.html

Quinet, A. (2009). Apresentação: O despertar do adolescente. In S. Alberti. Esse sujeito adolescente (pp. 13-15). Rio de Janeiro: Rios Ambiciosos/Contra Capa.

Ramirez, M. E. (2018). Reflexões sobre o conceito de nominação nos seminários de Lacan. In A. M. C. Guerra, & A. M. R. Vorcaro (diretoras). A teoria da nominação na obra de Jacques Lacan (pp. 73-86). Curitiba: CRV.

Ribeiro, C. N., & Guerra, A. M. C. Notas clínicas e topológicas sobre o nome próprio no Seminário 12 “Problemas cruciais da psicanálise”. In: A. M. C. Guerra, & A. M. R. Vorcaro (diretoras). A teoria da nominação na obra de Jacques Lacan (pp. 147-164). Curitiba: CRV.

Vidal, E. (2015). Pontuações sobre o nome próprio e a voz. In Escola Letra Freudiana, Sexuação, sintoma, nominação (pp. 165-170). Rio de Janeiro: Ed. 7Letras.




DOI: https://doi.org/10.5020/23590777.rs.v20i2.e9923

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Subjetividades, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2359-0777

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia