Estimativa do potencial energético proveniente do biogás gerado em aterro sanitário no Ceará

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5020/23180730.2021.10777

Resumo

A produção de energia a partir do biogás, resultante do lixo em aterros sanitários, é um modo de geração de energia elétrica renovável, diminuindo os impactos causados ao meio ambiente pela combustão dos resíduos sólidos urbanos. Diante disso, foi realizada uma análise e estimativa do potencial energético a partir do biogás produzido em um aterro sanitário localizado no Ceará, como alternativa para suprir a demanda energética da população. O estudo de caso foi realizado com base na estimativa de metano e biogás produzidos no Aterro Sanitário Metropolitano do Oeste de Caucaia (ASMOC). Para calcular o potencial energético do aterro utilizaram-se modelos matemáticos, segundo a metodologia indicada pelo Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC). Os resultados mostraram que, para o aterro analisado, o estudo é viável, podendo utilizar a energia gerada em 426 residências durante um ano. Conclui-se, portanto, que o aterro ASMOC possui potencial na geração de energia, sendo uma solução eficiente para a redução da emissão de gases do efeito estufa gerada no aterro.

Biografia do Autor

Maria Jorgiana Ferreira Dantas, INSTITUTO FEDERAL DO PARÁ

Possui graduação em Recursos Hídricos/Saneamento Ambiental pela Faculdade de Tecnologia CENTEC-Cariri (2008), Mestrado em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal do Ceará (2010) e Doutorado em Agronomia (Energia na Agricultura) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Ciências Agronômicas (2013), bolsista de doutorado sanduiche pela CAPES na Universidad de Valência/Espanha. Tem experiência na área de Saneamento Ambiental, Engenharia Agrícola, Sensoriamento Remoto e Expressão Gráfica com ênfase em Recursos Hídricos e Geoprocessamento Ambiental. Atualmente é professora do Instituto Federal do Pará.

José Wémenson Rabelo Chaves, UFC

Mestrando em Engenharia de Transportes na área de concentração de Infraestrutura de Transportes pela a Universidade Federal do Ceará - UFC. Possui graduação em Engenharia Civil, pela Faculdade Cisne de Quixadá - FCQ. Foi bolsista integral pelo o Programa Universidade para Todos - PROUNI. Foi monitor nas disciplinas de Cálculo I e Geotécnica II.

Roberta Oliveira Roque Pires

Possui ensino-médio-segundo-grau pelo Colégio Christus (2011). Possui graduação em Engenharia Civil pela Universidade de Fortaleza-UNIFOR. Atua como engenheira civil na prefeitura municipal de Madalena/CE. Tem experiência na área de Engenharia Civil.

Referências

ABRELPE. Download panorama 2015. Disponível em: http://abrelpe.org.br/download-panorama-2015/ Acesso em: 20 jan. 2017.

BANDEIRANTES landfill gas to energy project. Disponível em: https://cdm.unfccc.int/Projects/DB/DNV-CUK1134130255.56/view?cp=1 . Acesso em: 10 set. 2014.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. O aquecimento global e a agricultura de baixa emissão de carbono. Brasília: MAPA, 2012. Disponível em: http://www.agricultura.gov.br/assuntos/sustentabilidade/plano-abc/arquivopublicacoes- plano-abc/o-aquecimento-global-e-a-agricultura-de-baixa-emissao-decarbono. pdf. Acesso em: 21 nov. 2017.

BRASIL. Ministério de Minas e Energia. Empresa de Pesquisa Energética. Balanço energético nacional. Relatório final 2014. Rio de Janeiro: EPE. Disponível em: http://www.epe.gov.br/pt. Acesso em: 24 set. 2017.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Secretaria de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano. Planos de gestão de resíduos sólidos: manual de orientação. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2012. 156p. Disponível em: http://www.mma.gov.br/estruturas/82/_arquivos/manual_de_residuos_solidos3003_182.pdf. Acesso em: 8 dez. 2017.

BRASIL. Política nacional de resíduos sólidos. 2. ed. Brasília: Câmara dos Deputados, 2010. Disponível em: http://fld.com.br/catadores/pdf/politica_residuos_solidos.pdf. Acesso em: 8 dez. 2017.

BRILHANTE, H. Aterro metropolitano oeste de Caucaia: ASMOC. Relatório técnico da situação do ASMOC jan. a dez de 2006. Fortaleza: ARFOR, 2006.

CARVALHO, D.; FERRAZ, P. R. O crescimento populacional e a gestão de resíduos

domésticos. In: FÓRUM INTERNACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS, 1. 2007, Porto Alegre. Anais [...]. Porto Alegre: 2007. p. 1-7.

CASTRO, Barbara Santos de. Consolidação do modelo de obtenção de biogás em

biodigestor batelada de bancada. 2016. 75 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Engenharia

Ambiental e Sanitária) - Universidade de Fortaleza, Fortaleza, 2016.

CETESB - Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental. Biogás- 2003. São Paulo: CETESB, 2003. CETESB - Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental.

CHERNICHARO, C. A. L. Princípios do tratamento biológico de águas residuárias: reatores anaeróbios. 2. ed. Belo Horizonte: UFMG, 1997. 246p.

COELHO, T. C.; OLIVEIRA, R. M. S. Estimativa da produção teórica do metano gerado no aterro sanitário de Palmas-TO. Engenharia Ambiental, Espírito Santo do Pinhal, v. 9, n. 1, jan./mar. p. 177-189, 2012. Disponível em: https://www.amigosdanatureza.org.br/publicacoes/index.php/forum_ambiental/article/view/214/213. Acesso em: 28 out. 2017.

CONTO, S. M.; BONATTO, G.; FELDKIRCHER, E. G.; POSSER, L. Geração de resíduos sólidos em um meio de hospedagem: um estudo de caso. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA EM RESÍDUOS E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL, 2004, Florianópolis. Anais [...]. Florianópolis: ICTR, Nisam USP, 2004. Disponível em: http://limpezapublica.com.br/textos/06-100.pdf. Acesso em: 22 nov. 2017.

CEARÁ inaugura unidade para geração e tratamento de biogás. Disponível em:

http://www.grupomarquise.com.br/release/ceara-inaugura-unidade-para-geracao-e-tratamento-de-biogas. Acesso em: 2 set. 2017.

FERREIRA, A. C. Digestão de resíduos sólidos orgânicos e aproveitamento do biogás: Digestão anaeróbia de resíduos sólidos orgânicos e aproveitamento do biogás. PROSAB: Rede Cooperativa de Pesquisas. Sérvio Túlio Cassini (Coord.). Vitória: Rima, 2003. 196p.

FORTALEZA. Autarquia de Regulação, Fiscalização e Controle dos Serviços Públicos de Saneamento Ambiental (ACFOR). Obtenção de dados. Fortaleza, 2017.

GOOGLE Earth Pro. Versão 6.2. Disponível em: https://www.google.com.br/earth/download/gep/agree.html. Acesso em: 15 abr.2018.

GUIMARÃES, Mariana Carvalho et al. The use of biogas from landfills of São Paulo city for bioeletricity generation. In: The XII latin-american congress on eletricity generation and transmission-CLAGTEE. 2017.

ICLEI. Manual para aproveitamento do biogás: efluentes urbanos. São Paulo, 2009. v. 2.

IPCC. Intergovernmental Panel on Climate Change. The IPCC Special Report on Renewable Energy Sources and Climate Change Mitigation. 2006. Disponível em: http://srren.ipccwg3.de/ipcc-srren-generic-presentation-1. Acesso em: 27 abr. 2017.

KARLSSON, T. et al. Manual Básico de Biogás. Lajeado: Ed da Univates, 2014. 70 p.

LIMA, T. X. Análise da Capacidade de Geração Energética do Biogás Produzido em aterro sanitário pelos RSU da região metropolitana de Fortaleza. 2010. 40 f. Trabalho de Conclusão de Curso. (Bacharelado em Engenharia Química) - Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2010. Disponível em: http://www.eq.ufc.br/TFC/ TFC_2010_Lima.pdf. Acesso em: 20 set. 2017.

LOPES, G. R. Estudo sobre o potencial energético dos efluentes e resíduos sólidos

orgânicos gerados na Universidade de Fortaleza. 2016. 73 f. Trabalho de Conclusão de Curso. (Bacharelado em Engenharia Ambiental e Sanitária) – Universidade de Fortaleza, Fortaleza, 2016.

MAFACIOLLI, D. Produção de Biogás através do processo de digestão anaeróbia utilizando dejetos de aves de postura com suplementação de glicerina bruta. 2012. 73 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Engenharia Ambiental) - Centro Universitário - Univates, Lajeado, 2012. Disponível em: https://www.univates.br/bdu/bitstream/10737/424/1/DeboraMafaciolli.pdf. Acesso em: 3 set. 2017.

MENDES, L. G. G.; MAGALHÃES SOBRINHO, P. Métodos de estimativa de geração de biogás em aterro sanitário. Rev. ciênc. exatas, Taubaté, v. 11, n. 2, p. 71-76, 2005.

OLIVEIRA, B. P. Estimativa de emissões de gases de efeito estufa provenientes da disposição de resíduos sólidos municipais em Sorocaba – SP e a potência disponível nessas emissões. Sorocaba: UNESP, 2009.

PAINEL INTERGOVERNAMENTAL SOBRE MUDANÇA DO CLIMA. Lixo, do guia para inventários nacionais de gases de efeito estufa: livro de trabalho, 1996. v. 2. Disponível em: https://www.ipcc-nggip.iges.or.jp/public/, Acesso: em: 18 mar. 2017.

PECORA, V. Implantação de uma unidade demonstrativa de geração de energia elétrica a partir do biogás de tratamento do esgoto residencial da USP. 2006. 153 f. Dissertação (Mestrado em Energia) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006. Disponível em: http://143.107.4.241/download/publicacoes/tesevan.pdf.

Acesso em: 23 nov. 2017.

PINHEIRO, J. C. V.; CARVALHO, R. M.; FREITAS, K. S. Análise do suprimento atual e potencial de água potável para os municípios cearenses. Sociedade & Natureza, [S. l.], v. 21, n. 2, p. 107-121, 2009

PIRES, R. O. R. Estudo do Potencial Energético gerado em aterro sanitário: estudo de caso Asmoc. 64 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Engenharia Ambiental e Sanitária) – Universidade de Fortaleza, Fortaleza, 2016.

REGATTIERI, C. R. Quantificação de emissão de biogás em aterro sanitário: estudo de caso do aterro sanitário de São Carlos. 2009. 138 f. Tese (Doutorado em Engenharia) - Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, São Carlos, 2009.

SANTOS, Átila Caldas et al. Estimativa da geração de metano em aterro sanitário utilizando a composição de resíduos sólidos urbanos e ensaios de BMP. Salvador: [s. n.], 2012. p. 1 - 8.

SANTOS, G. O.; MOTA, F. S. B.. Composição Gravimétrica dos Resíduos Sólidos Domiciliares de Fortaleza/CE Dispostos no Aterro Sanitário de Caucaia/CE. Rev. Tecnol. Fortaleza, Fortaleza, v. 31, n. 1, p.39-50, jun. 2010.

SANTOS, M. M.; ROMANEL, C.; VAN ELK, A. G. H. P. Análise da eficiência de modelos de decaimento de primeira ordem na previsão da emissão de gás de efeito estufa em aterros sanitários brasileiros. Rev. Eng Sanit Ambient., v. 22, n. 6, p. 1151-1162, nov./dez. 2017.

SÃO PAULO. (Estado). Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo. Companhia de Tecnologia e Saneamento Ambiental & SMA-SP. Relatório técnico n.º 2 do convênio SMA/MCT n.º 01.0052.00/2001 – aterros. São Paulo: SMA, 2003, 349 p

SILVESTRE, V. V. Levantamento do potencial de geração de biogás de aterro sanitário para aproveitamento sob a forma de energia elétrica. 2015. 109 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Sanitária e Ambiental) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2015.

VENTURA FILHO, A. O Brasil no contexto energético mundial: o papel das fontes energéticas renováveis na produção de energia elétrica – prioridade da hidroeletricidade. Naippe, São Paulo, v. 6, p. 1-22, nov. 2009. Disponível em: http://naippe.fm.usp.br/arquivos/livros/Livro_Naippe_Vol6.pdf. Acesso em: 11 set. 2017.

Downloads

Publicado

2021-10-22

Como Citar

Dantas, M. J. F., Chaves, J. W. R., & Pires, R. O. R. (2021). Estimativa do potencial energético proveniente do biogás gerado em aterro sanitário no Ceará. Revista Tecnologia, 42(1). https://doi.org/10.5020/23180730.2021.10777

Edição

Seção

Artigos