Análise de métodos semi-empíricos para o cálculo da capacidade de carga de estacas raiz de pequeno e grande diâmetro em obras de Fortaleza

Alfran Sampaio Moura

Resumo


O objetivo do presente artigo é analisar alguns dos principais métodos semi-empíricos utilizados para o cálculo da capacidade de carga em estacas raiz de pequeno e de grande diâmetro, através de resultados de provas de carga estática em algumas obras em Fortaleza. Inicialmente, o artigo
apresenta comparações entre os métodos de Lizzi (1982), Salioni (1985), Cabral (1986), Brasfond (1991), Aoki e Velloso (1975) e Décourt e Quaresma (1978), com os resultados de três provas de carga estática realizadas em estacas raiz de pequeno diâmetro, cujos valores foram extrapolados através do método de Van der Veen (1953). Posteriormente, estimativas da capacidade de carga utilizando-se os
métodos Aoki e Velloso (1975), Décourt e Quaresma (1978) e Cabral (1986), realizadas por Amancio et al. (2010) para estacas de grande diâmetro, foram comparadas com estimativas realizadas a partir do método de Salioni (1985). Para as estacas raiz de pequenos diâmetros analisadas, os métodos de Salioni (1985), de Cabral (1986) e de Décourt e Quaresma (1978), apresentaram os resultados mais concordantes. No entanto, para as estacas de grande diâmetro, o método de Salioni (1985) não apresentou resultados satisfatórios e o método de Cabral (1986) foi o único método que apresentou resultados concordantes .

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Tecnologia, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2318-0730

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia