Solventes para extração do líquido da castanha de caju (LCC) e compatibilidade ambiental.

José Everardo Xavier de Matos, Fernando José Araújo da Silva, Priscila Batista Vieira

Resumo


O LCC é um importante subproduto da indústria de beneficiamento de caju. A prática industrial vigente para extração impõe riscos ao meio ambiente e à saúde do trabalhador. No presente estudo foram investigados solventes alternativos (isopropanol, etanol anidro e hidratado) ao hexano, normalmente empregado. A substituição do hexano tem fundamento nos princípios da química verde (green chemistry). Há ainda vantagens sob a ótica da saúde ambiental do trabalhador e em contexto de gestão ambiental. A troca de solvente poderá incorporar valor à cultura técnica e competitividade ambiental. A investigação experimental para substituição do hexano por um solvente com maior
compatibilidade ambiental mostrou que os teores médios de recuperação de LCC cresceram com o Índice Polarização (IP) e com o Calor de Vaporização (CVP) dos solventes investigados. Os resultados favoreceram ao uso do etanol (anidro ou hidratado), que foi ratificado pelo melhor índice
de extração em função do número de ciclos de extração. Apesar das vantagens do etanol, destacou-se que são necessárias modificações na planta de extração, com exigência de novo perfil tecnológico.
O etanol possui menor toxicidade e flamabilidade, maior biodegradabilidade, e disponibilidade quase que imediata no mercado e baixo custo. É, portanto, um solvente de maior compatibilidade ambiental, comparado ao hexano.

Palavras-chave


LCC. Extração com solventes. ompatibilidade ambiental.

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Tecnologia, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2318-0730

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia