Osmose reversa: limpeza química em membranas de dessalinizadores do Ceará

Autores

  • Horst Frischkorn

Resumo

A superfície das membranas de osmose reversa é sujeita à incrustação de materiais que podem estar presentes na água de alimentação do dessalinizador, como óxidos de metais, compostos de cálcio, material orgânico e biológico. As incrustações da superfície da membrana manifestam-se no declínio da performance, baixa taxa da vazão do permeado e/ou elevada passagem de soluto. Aumento da diferença de pressão entre a alimentação e o lado do rejeito pode ser um efeito da incrustação. Tratamos membranas com soluções químicas para remoção das incrustações. Membranas em que foi efetuada limpeza química sem sucesso foram abertas para diagnóstico da origem do problema através de fotografia eletrônica obtida por microscopia eletrônica por varredura (MEV) e identificação dos elementos presentes por EDX (energy dispersion X-ray analysis).

Downloads

Publicado

2016-06-13

Como Citar

Frischkorn, H. (2016). Osmose reversa: limpeza química em membranas de dessalinizadores do Ceará. Revista Tecnologia, 30(1), 61–76. Recuperado de https://periodicos.unifor.br/tec/article/view/5277

Edição

Seção

Artigos