Análise de métodos semi-empíricos nacionais e internacionais para determinação da capacidade de carga axial em estacas

Autores

  • Tiago Melo Monteiro Universidade de Fortaleza http://orcid.org/0000-0001-8937-9085
  • Carla Beatriz Costa de Araújo Universidade de Fortaleza
  • Marcos Fábio Porto de Aguiar Instituto Federal do Ceará

DOI:

https://doi.org/10.5020/23180730.2017.V38.2.7130

Resumo

Este trabalho apresenta uma análise comparativa dos resultados obtidos da aplicação de diferentes métodos semi-empíricos, nacionais e internacionais, para o cálculo da capacidade de carga do sistema solo-estaca, utilizando como referência o valor obtido de provas de carga estáticas de carregamento lento. Para esse estudo, foram executadas no campo experimental da Universidade de Fortaleza (UNIFOR) duas estacas do tipo raiz com 310mm de diâmetro e comprimento igual a 6m. Os parâmetros geotécnicos utilizados foram obtidos a partir de sondagens a percussão (SPT) realizados no local, sendo o solo caracterizado em sua maioria como areia siltosa. A análise das curvas carga x recalque para extrapolação da carga de ruptura do sistema solo-estaca foi feita pelo método de Van Der Veen (1953). Os seguintes métodos foram utilizados para determinação da capacidade de carga do sistema solo-estaca: Aoki e Velloso (1975), Décourt e Quaresma (1978), Cabral (1986), Philipponnat (1980), Bustamante e Gianeselli (1982) e Viggiani (1993). Os resultados dos métodos semi-empíricos foram dispostos considerando a distribuição da carga de ruptura total nas parcelas de ponta e lateral. Verificou-se que os métodos semi-empíricos que mais se aproximaram da carga de ruptura obtida da prova de carga foram os métodos de Philipponnat (1980), Bustamante e Gianeselli (1982) e Cabral (1986) com variações percentuais em relação a prova de carga de respectivamente -18%, -19% e -19%.

Biografia do Autor

Tiago Melo Monteiro, Universidade de Fortaleza

Graduado em Engenharia Civil pela Universidade de Fortaleza (UNIFOR).

Carla Beatriz Costa de Araújo, Universidade de Fortaleza

Possui graduação em Engenharia Civil pela Universidade Federal do Ceará (2013) - Magna Cum Laude. Mestrado em Engenharia Civil - Área de Concentração: Geotecnia pela Universidade Federal do Ceará (2015). Atuou na Empresa Arcadis Logos S/A como engenheira civil e coordenadora da equipe de gerenciamento do DRENURB (Programa Municipal de Drenagem Urbana de Fortaleza). Atualmente é Professora na Universidade de Fortaleza no curso de Engenharia Civil e na pós-graduação e doutoranda em Recursos Hídricos na Universidade Federal do Ceará.

Marcos Fábio Porto de Aguiar, Instituto Federal do Ceará

Possui doutorado em engenharia civil, área de concentração em geotecnia, pela COPPE/Universidade Federal do Rio de Janeiro (2008), mestrado em geotecnia e infraestrutura pela Universidade de Hannover - Alemanha (1997) e graduação em engenharia civil pela Universidade Federal do Ceará (1993). Atua, como professor e consultor, principalmente nas áreas de investigações geotécnicas, engenharia de fundações e contenções e infraestrutura de transportes.

Downloads

Publicado

2018-03-23

Como Citar

Melo Monteiro, T., Beatriz Costa de Araújo, C., & Fábio Porto de Aguiar, M. (2018). Análise de métodos semi-empíricos nacionais e internacionais para determinação da capacidade de carga axial em estacas. Revista Tecnologia, 38(2). https://doi.org/10.5020/23180730.2017.V38.2.7130

Edição

Seção

Artigos