Análise da correlação entre resistência à compressão axial e à tração na flexão em pavimentos rígidos
PDF

Como Citar

Brito, L. R. de, Almeida, A. F. M., & Oliveira, F. H. L. de. (2019). Análise da correlação entre resistência à compressão axial e à tração na flexão em pavimentos rígidos. Revista Tecnologia, 40(2). https://doi.org/10.5020/23180730.2019.9812

Resumo

O concreto de cimento Portland é um material compósito que tem como principal característica a resistência mecânica à compressão. Porém, quando se trata de pavimento rígido de concreto simples, outra propriedade mecânica que assume destaque é a resistência à tração na flexão. Essa propriedade é uma forma indireta de obter a tração direta, pois oseu ensaio não é muito empregado devido ao dispositivo que prende o corpo de provaao equipamento inserir cargas que afetam no resultado obtido. Essa obtenção indireta énormalizada e considera que a tração direta equivale a 70% do valor obtido da tração na flexão. Como ensaios de resistência à compressão são mais realizados, a mesma norma prevê a possibilidade de obter o valor da tração direta através do fck. Como o concreto é influenciado por vários fatores externos e internos, que muitas vezes não há como mensurar, tem-se a premissa que essa equação não é válida para todos os conjuntos de dados. Nesse sentido, este trabalho buscou, com um conjunto de dados obtidos do controle tecnológico da execução de placas de concreto simples do Quarto Anel Rodoviário, em Fortaleza, avaliar a correlação existente entre esses parâmetros. Os resultados analisados encontraram uma equação que difere da prevista em norma. Contudo os erros calculados com a aplicação das duas equações são próximos, fazendo com que a equação ora existente possa ser aplicada.
https://doi.org/10.5020/23180730.2019.9812
PDF
Opiniões expressas nos artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores, que, ao permitirem a publicação de seus textos, concordam que a Revista Tecnologia passe a ter o direito de divulgá-los por mídia impressa e eletrônica. A Revista se reserva o direito de efetuar nos originais, alterações de ordem normativa, ortográfica e gramatical, com vistas a manter o padrão culto da lingua, respeitando, porém o estilo dos autores.