Aplicação da semente de moringa (Moringa oleífera) como coagulante natural no tratamento de efluente de indústria de tintas no Ceará

Giuliana Buzelli Santana, Diana Colares Nóbrega, Julienne Tomé Oliveira, Igor Alves Martins, Ronaldo Ferreira do Nascimento, Carla Bastos Vidal

Resumo


As águas residuais de plantas têxteis e fabricação de tinta têm despertado grande interesse na comunidade científica por serem os maiores consumidores de água e produtos químicos em seus processos. O uso contínuo de coagulantes químicos no tratamento dessas águas e efluentes têm causado impactos não só ao meio ambiente em geral como, também, à saúde pública que, diante desta problemática, tem-se estudado alternativas menos agressivas, como o emprego de coagulantes de origem vegetal ou mineral. A semente de Moringa oleífera, além de poder ser utilizada como coagulante no tratamento de águas, também exerce propriedades adsortivas no tratamento de coagulação-floculação de águas industriais, aumentando, assim, o poder de remoção de diversas classes de poluentes. A presente pesquisa teve como objetivo, avaliar o desempenho e viabilidade da aplicação da semente de Moringa oleífera como agente coagulador-floculador no tratamento de efluente de indústria de tintas. Para a realização dos experimentos, o efluente industrial foi coletado diretamente do reservatório da fábrica e utilizado sem pré-tratamento. Para otimizar as variáveis que atuam na eficiência do tratamento, foi utilizado como ferramenta o planejamento experimental. Foram variados três fatores: pH, massa do coagulante e velocidade de agitação da etapa de floculação. Para analisar a significância de cada efeito foram gerados os diagramas de Pareto. De acordo com o programa estatístico utilizado, as condições ótimas de operação, as quais minimizam os valores de cor e COT (Carbono Orgânico Total) foram: pH 3; agitação 3 e concentração de moringa 15 g/L. Já para os parâmetros condutividade e turbidez, as condições ótimas de operação, as quais minimizam os valores de cor e COT, foram: pH 9; agitação 7 e concentração de moringa 5 g/L. Entretanto, os fatores que foram estatisticamente significativos foram pH 9 para o parâmetro condutividade e o fator concentração do coagulante 15 g/L para o parâmetro turbidez. Em termos de eficiência de remoção, observou-se que para todos os experimentos, a eficiência de remoção de cor e turbidez ficou acima de 97%. Já a eficiência de remoção de COT nos diferentes testes variou de 32 a 46%. Foi possível concluir, que a semente de Moringa foi eficiente como agente clarificador de efluentes de alta complexidade, tornando-a uma alternativa sustentável e economicamente viável devido a facilidade de seu cultivo em regiões áridas e tropicais.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5020/23180730.2020.9889

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Tecnologia, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2318-0730

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia